Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blue 258

Blue 258

Tonight, I hunt again

27
Fev10

Caçamos geralmente em grupo, e à noite.  A caçada pode durar dias. Maxilares fortes e dentes afiados. Visão extraordinária. Ouvido sensível. Olfacto apuradíssimo. Corpo musculoso. Membros  longos e fortes. Enorme resistência. Hoje, caço sozinha. Algo me prendeu  a atenção, e é a curiosidade genética que me impele. Incansável. Destemida. Paciente. Perseverante.

 

Vou-te seguindo de longe, mantendo-me no teu rasto. Procuro não te perder de vista. Assimilo o teu comportamento, os teus hábitos, traços da tua personalidade. Decalcada na memória, a tua imagem.

A cada caçada, não apenas o trabalho, mas a diversão. A diversão em tudo. O prazer, acima de tudo. O prazer da espera, da perseguição, do ataque. O prazer. Sigo-te há muito. E não desisto. Continuo a seguir-te.

Quando te demoras, acalmo o corpo, vagueio em passo lento. Piso a terra molhada, nela deixo uma impressão suave e única.  Derrubo gentilmente as gotas de chuva que as folhas sustentam. Chove. Essas mesmas gotas de chuva beijam a minha pelagem, e dela escorrem, como que rendidas.

 

Cruzas a cidade. Escapas-te da minha linha de visão. Por onde te moves agora, não  te posso seguir. Desloco-me instintivamente em passo de corrida lento. Sigo pelo caminho mais longo que se reencontrará com o teu.  Procuro aumentar o passo.  Faço uso da musculatura.  Corro. Agora, corro. Corro pela floresta negra, imbatível na arte da caçada. Na mente repetem-se as imagens que tenho de ti. Nada mais me ocupa o pensamento, nesta noite espelhada pelo luar. E eu, eu, sou apenas o brilho destes olhos âmbar.

 

13 comentários

Comentar post