Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

Hoje...

29
Abr10

Revi o abismo. Revi-o. Senti-o. Deparei-me com as suas escarpas negras, o mar gritante. Senti o sufoco, o aperto. O abismo ilude-nos, atrai-nos com a promessa da paisagem de cortar a respiração. E corta-a. Corta-a de tal forma, que nos sentimos tontos, capazes de perder o chão. Sentei-me na borda do  precipício. E a calma que nos invade é a mesma que nos diz para saltar. E recordei. Recordei a mão que outrora me mostrou que podemos estar lá sentados, e mesmo assim levantar e partir. Recordei o fôlego, o ânimo,  a força, a serenidade e a paz que encontrei outrora mergulhada na mesma escuridão. Procurei controlar a respiração, lembrar-me de respirar. Procurei acalmar o aperto do peito. Procurei recuperar as forças. Olhei bem para aquele abismo que nos parece sorrir de boca aberta... apenas para nos engolir. Olhei e deixei-me estar. Segura de estar sentada. Apenas sentada. De olhar perdido. Senti os minutos, horas. E revi o abismo. Revi o abismo projectado na grande tela que era o horizonte negro. Em fast-forward. Sempre em fast-forward. Deixei que a película terminasse. Dirigi o olhar pela paisagem de cortar a respiração. Inspirei. Expirei. E levantei-me. Voltei costas ao cenário. E regressei a casa.

 

 

Pág. 1/8