Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

Feliz Ano Novo!

31
Dez10

 

 

«It took me nearly a year to get here. It wasn't so hard to cross that street after all, it all depends on who's waiting for you on the other side.»

Elizabeth, in My Blueberry Nights

 

 

 

 

Once I wanted to be the greatest
No wind or waterfall could stop me
And then came the rush of the flood
The stars at night turned you to dust

 

 

Fazendo agora uma retrospectiva do ano que passou, uma retrospectiva daquelas tão típicas de fim de ano, daquelas que parecem impor-se sorrateiramente, sorrio. Sorrio. O caminho que percorri. O que eu mudei, o que eu optei por mudar, o que eu consegui até agora, e tudo aquilo  que me proponho ainda alcançar. Se custa? Custa, e muito. Se se desanima? Também. Mas vale a pena. Isso, sem dúvida nenhuma.

E vale a pena mesmo sem termos quem nos espere do outro lado. Vale a pena a coragem, a força, a determinação para cruzar outros caminhos. Para voar. E mesmo sem termos quem nos espere, há sempre quem espere por nós, mesmo sem saber que nos espera. E nós, nós, mesmo sem saber, esperamos por eles também. E pode ser que nos encontremos, mais cedo ou mais tarde, numa dessas encruzilhadas que a vida nos apresenta.

 

Esperamos uma vida por alguém que faça a diferença. Que acrescente. Que nos acrescente. Que nos faça ver a força que temos dentro de nós. Que nos leve a voar de novo. E isso, isso, não tem preço. E quanto a ti, a ti, só posso dizer que um ano passou e continuo a ter-te na minha vida. E como foste, és, importante.

 

A todos os que me acompanham desde o ano passado: um bem-haja. Ergo o copo a vós, e brindo: foi bom ter-vos encontrado.  É bom ver-vos, ter-vos ainda na minha vida. Saber-vos à distancia de uma mensagem, de um email, de um telefonema, de um abraço.* Aos que se acabaram de juntar: um brinde a essa força maior que nos colocou na vida uns dos outros. Este ano, deixo-vos poucas palavras, mas compenso com algo ainda melhor: um abraço. Daqueles, que dizem tanto.

 

 

 

P.S. E será esta música a última do ano no blogue. E parece-me perfeita. Perfeita. Sinto que não poderia ser outra. Porque é isto que devemos desejar todos os dias. Porque é esta a força que nos deve fazer respirar todos os dias. Porque é o que eu espero de mim. Porque é o que eu que eu quero de vós.  O melhor que temos em nós. Feliz Ano Novo a todos.

 

 

* Palavras semi-roubadas.

Iridescent

30
Dez10

 

When you were standing in the wake of devastation
When you were waiting on the edge of the unknown
And with the cataclysm raining down
Your insides crying, "Save me now"
You were there, impossibly alone.

Do you feel cold and lost in desperation?
You build up hope, but failures all you've known.
Remember all the sadness and frustration
And let it go. Let it go.

 

And in a burst of light that blinded every angel
As if the sky had blown the heavens into stars
You felt the gravity of tempered grace
Falling into empty space
With no one there to catch you in their arms.

 

...

29
Dez10

 

 

I jaywalk through this town, I drop leaves on the ground but lonely people here just gaze their eyes on air and miss the autumn roar.
I roam through traffic lights, I fade through Christmas nights, I wanna set it straight, I wanna make it right... but man you're so far away.
Oh, I'll hold still for a moment so you'll find me
You're so close, I can feel you all around me boy
I know you're somewhere out there
I know you're somewhere out there
Oh, hold still for a moment and I'll find you
You're so close, I can feel you all around me
And I could hold you if you just stood still
Oh, I'll hold still for a moment so you'll find me
I'm so close, I'm just a small step behind you
I know you're somewhere out there
I know you're somewhere out there
I know you're somewhere out there

 

 

P.S. David Fonseca em concerto na RTP2. Esta, ouvida/sentida à pouco.

 

 

Tags e pensamentos (ou pensamentos e tags)

29
Dez10

Dei por mim, hoje, a perceber que já não penso em ti todos os dias. Estava a pensar em ti. Tenho pensado em ti. Tens-me ocupado o pensamento, tens. Recordava o final do ano passado. O último dia do ano. Lembras-te? Pois lembro-me eu quase como se tivesse sido ontem. Não poderia esquecer a mão que segurou a minha. O braço que me sustentou o corpo. O abraço... O teu abraço do tamanho do mundo.

 

Mas tudo passa. Tudo. Mas há coisas que demoram mais do que outras.

 

 

P.S. E tenho saudades de ver esta tag ser usada. Tenho saudades da pele, da paixão que tinha tomado conta deste blogue.  Que tomou tanto tempo conta do blogue. (De mim.) Deste blogue que já foi tanto... tanto.

 

 

Pág. 1/4