Terça-feira, 18 de Dezembro de 2018

...

Ultimamente tenho pensado muito em ti. Não sei se é por estarmos próximos do Natal; seja o que for, a verdade é que me fez voltar aqui e escrever sobre (para) ti. Não é que pense sequer em voltar a reatar a amizade  - até porque isso não seria possível - mas não, não é isso. Continuo a lamentar que uma amizade como a nossa se tenha esfumado assim, do nada e para o nada. Sempre senti que a nossa amizade era especial; havia um profundo entendimento, uma empatia natural e uma química, bem, que química. Sempre disse que era má jogada misturar as águas; mais vale uma amizade longa e duradoura do que deixarmo-nos levar pelo arrebatamento e acabar por perder um bom amigo. 

E eu que sempre disse isso mesmo, eu que te disse isso mesmo, cedi às tentativas incessantes de derrubar os meus altos muros  e deixei-te entrar. Não vale a pena aqui falar de quem errou, de quem fez ou não fez o quê. Tudo isso é passado e está arrumadinho na sua devida caixa e guardado lá bem ao fundo de um canto qualquer da memória. Mas a verdade é que ultimamente tenho pensado muito em ti.

Não sei se terá porventura a ver com a música que ando a ouvir. Partilhamos o mesmo gosto; gostamos das mesmas bandas, ouvimos tantas vezes juntos. E, como me lembrei de ti, ao ouvir o que tenho andado a ouvir, torna-se difícil esquecer que me lembrei de ti. E o resto vem por acréscimo. E num ciclo deveras vicioso. Daí estar agora a escrever num blogue que já tinha dado por encerrado. 

Entretanto já criei outro blogue; escrevi o meu primeiro post. Percebi que o registo, este registo, aquele registo do qual eu me queria distanciar se mantém. Pensei que talvez ainda não fosse o momento certo. Não está ainda em mim mudar o registo. Quando estiver em mim, serei capaz de o fazer sem me sentir presa. Daí ter optado por voltar aqui. Não digo que, secretamente, espere que ainda te lembres de que eu tinha um blogue e que possas passar eventualmente por cá, e se o fizeres, poderás ler o que escrevi para ti (ou será para mim?). Se não vieres, também não importa.

E já que estou numa de confidências, posso confessar que eu de vez em quando ainda te pesquiso no Facebook; só para saber se estás vivo. Se estás bem. Se és feliz. Se sorris. Entro, dou uma espreitadela, e saio tão sorrateiramente como entrei. É  vantagem do perfil público, sabias? E já que estamos a falar de redes sociais, deixa-me dizer-te que me deste um trabalhinho do caraças quando resolvi remover a tua amizade de tudo aquilo que (ainda) nos ligava. Percebi que era parvoíce quando, tempos depois, ainda te encontrei no Spotify. Aí disse, merda, não é que depois de tudo, ainda me esqueci de o remover daqui? Mas deixei ficar. Porque percebi que era estupidez remover uma pessoa de tudo quanto é sítio, um desperdício de tempo, quando era tão mais simples ignorar. 

Se calhar é mesmo do Natal que se aproxima - a razão pela qual ultimamente me tenho lembrado de ti -  porque tive, a dada altura, a vontade de te desejar um feliz natal. É claro que se vai ficar só pela vontade. Não poderia ser de outra forma. Mas é curioso ter-me lembrado de, neste Natal, te enviar uma mensagem. E se calhar é isso que me incomoda. Daí tentar dar-lhe uma forma. Ao quê, não sei. Porquê... porque ultimamente tenho pensado muito em ti. 

E, para finalizar, esta música que anda a tocar em repeat. Podia ser outra qualquer; mas por acaso é esta. E agora, está na hora de mudar de faixa.


publicado por blue258 às 18:20
link do post | dá-me um pouco da tua cor | favorito
1 comentário:
De Daniela Barreira a 20 de Dezembro de 2018 às 02:07
Essa música...


Tinha tantas saudades de te ler, minha Blue! <3


Colorir

.10 anos, 10 razões :)

10 anos de Blogs do SAPO

.mais um pouco de azul


. procura-me

. segue-me

. 104 seguidores

.azuis recentes

. ...

. Dos abraços

. ...

. Crónica de uma morte anun...

. Hoje foi o dia

. Where’s the light I used ...

. Maio

. And I'll do it a thousan...

. Abril

. ...

.a cor da minha música

.pesquisa-me

 

.arquivos azuis

.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.azul também por aqui:

.links

.favoritos

. este mundo que nos ensina...

. passando, sem ficar.

. quando o medo te assalta.

. "menina dos abraços"

. como comer sushi como um ...

. A Dani, segundo a MilVeze...

. ...

. abre parêntesis

. menos não (me) chega.

. coisas sobre ti (que nunc...

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds