Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blue 258

Blue 258

...

Ele

01
Jun21

Aparece sem contar, depois de tão longa ausência, depois de o dar como perdido. Ele. Aparece. Dá sinal de vida. Deixa marcas dele e volta a desaparecer. (e as borboletas que tu pensavas mortas, ainda bateram as asas ao de leve. já não conseguem voar, mas as asas bateram a protestar)

Ele envia-me uma música. Agora. Do nada. Ele. E eu, sem perceber se a música é para mim, sobre mim, se é sobre ele, se é apenas uma música, olha porque sim, fui ao ponto de me lembrar e de escolher esta música para te enviar. Só para te pôr a pensar. Ou para ver se ainda consigo mexer contigo. Só porque sim. E eu sem perceber, sem saber e a pensar, será que é sobre ele, será que está tudo bem contigo? E eu a querer perguntar, mas não, não pode ser. Porque eu a ti contava como sou pedaços. Mostrava-te como estou quebrada e deslizava os teus dedos pela minha pele para que percebesses as minhas falhas. Porque eu a ti, contava-te os meus sonhos mais negros. Contava-te da escuridão que me engole. Dos dias que me esmagam. A ti. A ti.

Mas não. Não te conto nada. Não te percebo. E tu não me conheces, não sabes nada sobre mim. Por isso ficamos assim. Só espero que estejas bem. Que te sintas inteiro. Que saibas que estou aqui para ti. Sempre. E que me preocupo.

Ele iluminava o meu sorriso sempre que entrava na sala. Ele não me via sorrir, mas eu sorria sempre que ele entrava na sala. Ele não sabe, mas ele já foi o melhor momento do meu dia. Ele.

 

12 comentários

Comentar post