Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

...

...

16
Jun21

«Mas um abraço, mesmo sendo toque, presença, conforto e lar, não tem de ser físico.

Há abraços sem braços e esses não são menos apertados. Nem menos presentes. Nem menos confortáveis. Nem menos seguros.

Há abraços sem braços, sem corpo e sem mistura de perfumes que são igualmente importantes.

Na distância também se abraça. E que bem que se abraça.»

no abraço da mariana

 

Abraço

15
Jun21

A Daniela, menina dos abraços,  resolveu abraçar outras palavras. Não é que ela não o fizesse já, mas agora lança o desafio a um amigo/blogger/autor da sua escolha e publica quinzenalmente no blog. O primeiro tema, como não podia deixar de ser, é o abraço. A primeira a abraçar foi a Mariana. E o abraço é amor que se dá. E se recebe, mesmo sem estar à espera.  Este é o abraço da Blue:

 

 

Abraço que é casa. Abraço que sabe a casa, a voltar para ti todos os dias. Abraço que sabe a sofá, a lareiras acesas, a chocolate quente. Abraço que sabe a piquenique no jardim. A limonada. A ti. Abraço que cheira a Primavera e a Outono.

Abraço que é porto de abrigo. Refúgio da tempestade, da noite fria, dos dias conturbados. Dos meus medos. Abraço que é paz. Tranquilidade. Segurança. 

Abraço que são as pequenas coisas. Abraço que é tudo. Que é tanto.

Abraço que é mãos nas mãos, nas tuas mãos, nos teus braços, no teu peito, no teu coração. Abraço que é sorriso. Lábios que sorriem, olhos que brilham. Tanto. Tanto.

Abraço que é o riso dos nossos filhos. Abraço que é o orgulho de um pai. Abraço que são os amigos que são família. Abraço que se sente sem tocar e perdura além fronteiras. Abraço que é este abraço de Viana do Castelo até aí, até ti, minha Daniela. Abraço que é este abraço que chega a quem quer que leia estas palavras. Abraço em forma de palavras. Abraço que se sente. Sempre.

Abraço-te. Tanto.