Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

...

Simplesmente...

10
Dez09

... fabuloso. A música, a letra... os coros, os arranjos... coloco-a aqui, para nos deliciarmos com cada pormenor... cada detalhe. E para voltarmos a ouvir... a sentir.

 

Encontrei esta música - ou encontrou-me ela a mim - ontem à noite, num blogue que já seguia mesmo antes de ter conta no blogger... um blogue cheio de personalidade, tal como a dona, e bom gosto: Vinte e Um Gramas. São estes blogues que sustêm a blogosfera. Disso tenho agora a certeza.

 

 

 

I took the stars from our eyes, and then I made a map
And knew that somehow I could find my way back
Then I heard your heart beating, you were in the darkness too
So I stayed in the darkness with you

 

lyrics )

The blogs next door

31
Ago09

 

Tal como comunicado anteriormente, tenho andado perdida pelos blogs da concorrência. Apreciem a listinha lá em baixo, à esquerda, como cresceu!

Tanta coisa boa... oh tanta coisa boa!

Portanto, não resisto a destacar alguns - e já há muito que não o faço. De salientar que é a minha opinião pessoal, o que provavelmente quer dizer que há quem não perceba o meu entusiasmo - mas o blog é meu, e eu sou eu, sou assim, e vejo as coisas à minha maneira.

 

E que eu tenho um gosto pela cultura nipónica, tenho. Sempre tive. Agora ainda mais com o vício da Manga e do Anime - prevê-se um post para breve.

 

Num dia daqueles, daqueles em que parece que o cosmos se alinhou para nos conduzir a coisas boas, e a nada mais do que coisas boas, encontrei este blog: Sakura. Bastou o nome para me chamar a atenção. 

Entrei, e confesso, demorei para sair. Adorei. Todo um conjunto de particularidades que me fez encantar, e agora, já não o largo.

 

O mundo é deveras estranho e complicado, e as nossas vidas emaranham-se com uma facilidade...  O meu estranho mundo - irreverente e tocante.

Adorei a música com que nos brinda logo à entrada - Unlike Me, de Kate Havnevik - já conhecia a cantora (banda sonora de Grey's Anatomy), mas esta música realmente lindíssima, disse-me tanto... e não tarda nada aparece por aqui.

Mais: uns textos que fazem corar  as minhas teorias de tão púdicas que são. 

Então este aqui, hilariante!

Sem dúvida um blog a acompanhar.

 

 

Por último, um blog em que uma palavra apenas basta para o definir: classy.  O amor é um lugar estranho. Nem preciso desenvolver - querem saber, vão lá ver.

Ah! E uma coisa tão gira e tão engraçada, que aqui encontrei e me fez rir tanto: generatus . Vão lá, digitem o vosso nome, nick, não interessa e... divirtam-se!

 

Não resisto a deixar aqui algumas:

 

Blue used to live in the real world but she got evicted.

Blue is going mad. We all go a little mad sometimes.

 

Blue is saying NO to negativity.

Blue knows that the truth is out there - but she's stuck here

Blue agrees that money talks: her always says "Good-bye"

 

Blue is an idealist - she doesn't know where she's going, but she's on her way.

Blue intends to go to Heaven for the climate and to Hell for the company.

 

Blue is perfectly sane. The voices in her head said so.

Blue will not eat oysters - she wants her food dead. Not sick. Not wounded. Dead.

Blue is now realising that that the Earth was made round so that we would not see too far down the road.

 

 

 

 

P.S. Pode ser que arrange por lá casa... assim tipo para umas escapadinhas ;)

       

5ª Dimensão

07
Jul09

Talvez seja melhor elucidar os leitores, os leitores?

 Pronto quem aqui tem o azar de vir aterrar de pára-quedas.

Já não me encontro febril. Mas daí a recuperada, não, isso não.

Tosse, garganta irritada, a falar pelo nariz...

E sinto a falta daquelas bombas (antibiótico) que me arruinaram o estômago. Sim, arruinaram. Agora qualquer coisa que lá cai (de alimento), faz-me sentir a bomba outra vez.

 

Isto só para não pensarem de imediato que sou doida/louca ao lerem o que vos quero contar a seguir.

 

Bom, andava eu pelo Blogger, sim, na concorrência (mas não, não troco), quando encontro um blog - até aqui normal, tá cheio deles - mas o ponto extraordinário, transcendente, do outro mundo foi ver uma foto de alguém - que aqui é que parte tudo: que eu conheço/penso conhecer/conheço de certeza.

Pronto, nada de especial, dizem vocês - e esta gaja está é maluca porque não sabe é quem conhece, ou o que quer; mas não,  não porra, ou aquilo não bate certo, ou duas pessoas podem ser idênticas assim, desta forma tão à Hitchcock?