Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

...

Porque dias de chuva...

17
Mai13

São perfeitos para nos instalarmos no sofá com um bom livro, é hoje mesmo que aqui promovo esta Campanha de Incentivo à Leitura.

 

As regras são:

 

1. Indicar 10 blogs para receberem o Selo (é proibido apenas deixar para quem quiser pegar sem indicar 10 blogs)

2. Avisar os blogs escolhidos

3. Colocar a Imagem no Blog para apoiar a Campanha

 

4. Responder à pergunta: Qual Livro Indicaria Para alguém Começar a Ler?


Como as regras são para ser infrigidas,  e esta campanha pode e deve ser partilhada por todos, fica aqui à disposição de quem por cá passar e quiser levar. Pontos 1, 2 e 3 feitos.
Quanto a livros, e porque eu acredito que são muitas vezes os livros que nos escolhem a nós, e não o contrário, a minha vontade é a de vos guiar em direcção aos clássicos. Qualquer clássico da literatura é um bom livro para se começar a ler.
 O Monte dos Vendavais, de Emily Brontë marcou-me de tal forma que sinto ter sido a partir desse momento que a Literatura entrou  verdadeiramente na minha vida. Posso deixar-vos também a nota para Anna Karenina de Leo Tolstoi e para Lolita de Nabokov. Lêem-se bem e é o curso da história que nos leva página após página até perdermos a noção do tempo e do espaço. E não é isto mesmo que um bom livro faz?
Porque  não guiar-vos através de Os Maias de Eça de Queirós? E Pessoa? Fernando Pessoa é um mundo.
Eu, que sou eu, não poderia deixar de vos falar de Pearl S. Buck, Prémio Nobel da Literatura e aconselhar-vos Terra Bendita, Os Filhos de Wang-Lu e Casa Dividida (só para provar que isto das trilogias não é de agora).
Aproveito a deixa para nos transportar para a literatura contemporânea com José Luís Peixoto, Pedro Paixão e Pedro Mexia, não podendo deixar de fora o fenómeno japonês: Haruki Murakami.
Para terminar e só porque não pretendo ser maçadora, tenho de vos falar naqueles livros que marcam a vida ou que a revolucionam (o que vai dar no mesmo): Papillon de Henri Charrière (marcante), Sexus de Henri Miller (nu e cru) e Henry & June de Anaïs Nin (tocante e verdadeiro mas a quilómetros do piegas).

#3 Hoje, proponho...

20
Out09

 

Encontrarmo-nos para almoçar, na casa na praia. Sim, aquela, tu sabes, sem vizinhos por perto.

Acendo a lareira. Preparo o almoço para os dois. Abro o vinho. Espero por ti.

As cortinas estão corridas, deixando entrar a luz cinzenta do dia. Sento-me no sofá, com o olhar perdido entre o areal e o mar.

Lá fora, tudo parece cinzento hoje.

Cá dentro, o sangue aquece, o coração bate cada vez mais apressado. Sei que deves estar a chegar. Sorrio. Sorrio porque sei que que nenhum de nós volta ao trabalho depois de almoçar. Eu sei. Tu ainda não sabes.

Sucedem-se as imagens de uma tarde perfeita. A sala quente, aconchegante, que nos mantem cativos.

Lá fora, o mar frio e cinzento, que nos aprisiona ainda mais cá dentro.

Deitados no sofá. Eu com o meu livro. Tu, com o teu.

Olho para ti, sorrio. Tu, retribuis o olhar e sorris, também.

Já não é na leitura que pensamos.