Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

Poços e o loving feeling

19
Fev10

Ontem, sentia-me no fundo de um poço. Tinha frio, estava húmido - o poço tinha alguma água,  lógico - e estava escuro. E eu odeio o escuro. E estava sozinha. E a sentir-me só. Desamparada, quiçá.

E ainda por cima, não tinha grande sinal no telemóvel - o  poço era antigo,  as paredes não eram as comuns anilhas de cimento, mas sim a  pedra dura e contundente. (E a  esta altura, quem estiver a ler, já está a pensar: esta gaja está a bater bem? Não sei. Talvez não. Ou estou só para aqui a desabafar.)

Adiante. Sentia-me desencantada com tudo e todos. Comigo mesma inclusive. Não sei se terá sido por isso, por culpa da rede do telemóvel, da ligação, da hora, do momento, da vida, mas a conversa foi estranha. Foi. Sem dúvida. Tudo bem que eu já estava como estava: a terem de me arrancar as palavras a saca-rolhas.

Mas a conversa foi estranha. Senti-me estranha. E pior de tudo, foi não sentir o que sentia antes. Ouvir a tua voz, deixava-me a tremer por dentro - o que pode parecer mau, mas era muito bom. Mesmo muito bom. Quem já sentiu isto, sabe do que estou a falar. E depois desligamos. E nada. Não senti o que costumava sentir. E fiquei a perguntar-me: para onde foi aquele loving feeling?


 

There's a drumming noise inside my head...

10
Dez09

...That throws me to the ground

I swear that you should hear it
It makes such an all mighty sound

 

Louder than sirens
Louder than bells
Sweeter than heaven
And hotter than hell

 

 

I swallow the sound and it swallows me whole
Till there's nothing left inside my soul
As empty as that beating drum
But the sound has just begun

 

 

P.S. Este álbum é fenomenal. Estou rendida. Completamente.

 

Simplesmente...

10
Dez09

... fabuloso. A música, a letra... os coros, os arranjos... coloco-a aqui, para nos deliciarmos com cada pormenor... cada detalhe. E para voltarmos a ouvir... a sentir.

 

Encontrei esta música - ou encontrou-me ela a mim - ontem à noite, num blogue que já seguia mesmo antes de ter conta no blogger... um blogue cheio de personalidade, tal como a dona, e bom gosto: Vinte e Um Gramas. São estes blogues que sustêm a blogosfera. Disso tenho agora a certeza.

 

 

 

I took the stars from our eyes, and then I made a map
And knew that somehow I could find my way back
Then I heard your heart beating, you were in the darkness too
So I stayed in the darkness with you

 

lyrics )

Just sittin' on the dock of the bay... wasting time

19
Set09

 

Encontrei o original desta música de Otis Redding num blog pelo  qual me perdi - ao estilo do triângulo das bermudas - quis por lá velejar... e por lá fiquei - literalmente (ver posts anteriores).

 

Presa num hiato de tempo, recordei músicas... reencontrei partes de mim.

 

Fica aqui este clássico, na voz de Eddie Vedder (eu sei, eu sei, ai que bom!).

 

 

Sitting in the morning sun
I'll be sitting when the evening comes
Watching the ships roll in
And I watch 'em roll away again

[Refrain]
Sitting on the dock of the bay
Watching the tide roll away
I'm just sitting on the dock of the bay
Wasting time

I left my home in Georgia
Headed for the 'Frisco bay
'Cause I had nothin to live for
And look like nothing's gonna come my way

So I'm just...
[Refrain]

Look like nothing's gonna change
Everything still remains the same
I can't do what ten people tell me to do
So I guess I'll remain the same

Sittin here resting my bones
And this loneliness won't leave me alone
It's two thousand miles I roamed
Just to make this dock my home

Now, I'm just...

 


 

 

P.S.  E quando não é preciso dizer mais nada ...

 

 

Unsteady

03
Set09

 


I lost myself on a cool damp night
Gave myself in that misty light
Was hypnotized by a strange delight
Under a lilac tree
I made wine from the lilac tree
Put my heart in its recipe
It makes me see what I want to see
and be what I want to be
When I think more than I want to think
Do things I never should do
I drink much more that I ought to drink
Because (it) brings me back you...

Lilac wine is sweet and heady, like my love
Lilac wine, I feel unsteady, like my love
Listen to me... I cannot see clearly
Isn't that she coming to me nearly here?
Lilac wine is sweet and heady where's my love?
Lilac wine, I feel unsteady, where's my love?
Listen to me, why is everything so hazy?
Isn't that she, or am I just going crazy, dear?
Lilac Wine, I feel unready for my love...

 

 

P.S. É bom, tão bom, nestas alturas, em que nos sentimos assim... termos alguém, que nos ouve, que nos aconselha, que nos mostra a situação vista de fora - pelos seus olhos - alguém que nos dá a mão.

Obrigada por tudo L  ;)
 

 

Keep good love from going wrong...

02
Set09

 

Ok. Chego à cama. Ando às voltas sem conseguir dormir. E porquê?

Porque nem ali, deitada ao lado do m me deixas em paz.

 

Com os phones a tocar Jeff Buckley, recordo a música que dizias querer no teu... funeral. Um pouco mórbido, mas talvez relacionado... com esta tarde. E não, não esqueci.

 

De tarde passei na campa do P.

Porra que já lá vão tantos anos... como o tempo passa e nem sequer damos por ela.

Tive a sensação de que nos iríamos cruzar lá. E que ia ser hoje. Esta tarde. Naquele momento iminente. Atribuo isso ao facto de saber que por ali haverias passado. Como passas sempre. Eu também não me esqueço.

 

Mais cedo, ao acender uma pinha, para a fogueira do churrasco, pum, lembro-me que foste tu que me ensinaste a fazê-lo assim. E que é assim que o tenho feito sempre. Desde que fizeste parte da minha vida.

 

O dia tem sido assim... mas agora, desaparece-me do pensamento, ok?

Quero ir pra cama, abraçar-me ao m... e dormir.

Quero acordar de manhã... e não me lembrar de ti.

Deixa de assombrar os meus sonhos.

 

 

 

Looking out the door i see the rain fall upon the funeral mourners
Parading in a wake of sad relations as their shoes fill up with water
And maybe i'm too young to keep good love from going wrong
But tonight you're on my mind so you never know

When i'm broken down and hungry for your love with no way to feed it
Where are you tonight, child you know how much i need it
Too young to hold on and too old to just break free and run


 

 

Fuck you

02
Set09

Quando pessoas do passado reaparecem dos escombros onde as soterramos... seja em sonhos (pesadelos, digo), via telemóvel ou via tgv da informação - que é a internet - é caso para dizer... fuck you.

 


What I want from you is empty your head
They say be true, don't stay in your bed
We do what we need to be free
And it leans on me like a rootless tree

What I want from us is empty our minds
We fake the thoughts, and fracture the times
We go blind when we've needed to see
And this leans on me, like a rootless...

 



P.S. O título deste post não podia ser outro.

 

Novelo

01
Set09

Porque não é o mundo mais simples... mais linear?

Porque se torna a vida um novelo de fios emaranhado?

Quando resolvemos organizar as linhas, começamos a puxar, a puxar, mas os fios são tantos e estão tão presos uns nos outros que se torna impossível desmanchar o novelo.

Portanto, mesmo que até haja vontade e determinação, isso não basta. Oh não.

E o que faz o mais comum dos mortais? Bem se não consegue resolver, o que há-de fazer? Adia. Pretendendo ou não voltar a encetar essa batalha de organizar o novelo da vida.

Mas isso não interessa. O que interessa é que se virmos bem a coisa, e se os assuntos mal resolvidos fossem bolas de cotão, acreditem, andávamos por aí feito árvores de Natal... só que as bolas eram de cotão. 

 

Não me perguntem do que é que eu estou para aqui a falar, que nem eu sei.

Só sei que tenho saudades das Flutes e de falar das coisas que se guardam na caixa com o lacinho.  

 

 And we all wanna be wanted... Esta é para apreciar. E é para mim, e para todos os que fazem parte do meu novelo - that means you too!

 

 

 

P.S. Às vezes dá-me para cada metáfora!