Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blue 258

Blue 258

Series one-on-one

13
Mar16

 Scandal 

 

Olivia, querida, eu sei, eu sei o que disse aqui. Mea culpa, estamos sempre a aprender e não conhecemos bem as pessoas (until we do). Ai Jake, Jake, Jake, seu gajo-menos-simpático-que-isto-é-um-blogue-familiar-por-vezes. Raios, rapariga, não tens sorte nenhuma com os homens. Lindos de morrer, carismáticos, bons na cama... e voltei a esquecer-me que isto é um blogue quase familiar. Mas o que importa é: Olivia, mais vale só do que mal acompanhada.

 

Scandal-Season-4-Cast-Photo-Clip.jpg*

 

Em The Good Wife, logo agora que eu estava toda encantada com a participação de Jeffrey Dean Morgan (que é um regalo para os meus olhos) e a torcer pela felicidade da Alicia, pimbas, a série vai acabar. 

 

7x07_08-cc3b3pia.jpg*

 

* Imagens retiradas da net. E sim, eu sei, um regalo para os olhos.

 

Da chuva e o bom tempo

13
Fev16

Não, não me vou começar a queixar do tempo. Sim, eu sei que tem chovido non-stop, eu moro em Portugal Continental, obrigada. Mas se este tempo consegue ser chato, isso eu admito, é ideal para estar em casa, no quentinho, à base de chá de limão e mel a recuperar de uma bela gripe. Porque eu, sim eu que me andei a safar até agora, estou há uma semana de molho. Mas nem tudo é mau - deu para actualizar algumas séries e para ler um bocado. 

Scandal, foi a primeira, e oh série brutal, de tão boa que é. Há uma nota que eu tenho de partilhar, porque isto tem de ser dito e eu não poderia ficar calada. É quase aquele, fala agora ou cala-te para sempre. 

 

Olivia, minha querida, sabes que te adoro, mas tenho de te dizer isto: quando gostas de um e acabas no colo do outro, o que é que isso te diz?

Falasse eu como uma profissional nestes assuntos de colo, não faltou muito para chegar a isto:

 

 There is no us! There is no this! There is no Vermont! There is no jam! There's no future. Not anymore.

 

Foi o grito do ipiranga para a Olivia e ainda bem. Algo está muito errado se estás com um e pedes o colo de outro. Se aquele de quem gostas não é o homem que te dá colo ou não é o colo dele que queres, não precisas de mais nada para saber que isso não vai a lado nenhum.

 

Outra das séries que pude actualizar foi The Good Wife. Julianna Margulies no seu melhor, sem dúvida. A cena dos pratos a voar foi das catarses mais lindas que pude ver em televisão nos últimos tempos.

Para grande alegria (minha pelo menos) é a belíssima entrada de Jeffrey Dean Morgan no elenco. Oh alergia para os meus olhos, o que eu gosto deste actor. Tem aquele je ne sais quoi que me deixa a babar - adorei vê-lo em Grey's Anatomy e foi uma surpresa refrescante reencontrá-lo agora. Espero que tenha vindo para ficar e que seja desta que a Alicia vai ser feliz.

 

 How to Get Away With Murder, outra das minhas séries preferidas, que mais posso dizer. Viola Davis, mais uma actriz talentosa a mostrar que vale a pena acompanhar.

Oh blue, mas como é que tu deixas as coisas acumularem assim? Não dá para tudo, é a minha resposta. Mas valeu a pena, assim pude ver epis uns atrás dos outros e chegar ao fim e dizer, damn, agora vou ter de esperar.

Faltou foi vontade para actualizar o blogue. E não é que não me lembre e não queira partilhar isto ou aquilo, mas chego cá, abro o editor de posts, ainda começo a escrever mas acabo por guardar em rascunho. 

McDreamy is dead [spoiler alert]

27
Abr15

E o meu coração está com todos os fãs de Grey's Anatomy.

xyswfo9byc3dh00xavfm.jpg

 

O nosso McDreamy sofreu um acidente de carro na passada quinta-feira dia 23 de Abril (s11e21 ). O neurocirurgião Derek Sheperd, brilhante, lindo de morrer, salva uns quantos que sofreram um acidente, e, ao fazer inversão de marcha, pára no meio da estrada para tentar alcançar o telemóvel que lhe tinha caído ao travar. Estúpido, muito estúpido.

É preciso ser-se muito parvo. Resultado: leva com um camião nas trombas, é transportado para um hospital - que não o de Seattle Grace - cheio de médicos incompetentes e acaba por morrer. Pior, encontra-se em morte cerebral e é a esposa, Meredith Grey que tem de decidir se desligam ou não as máquinas. Coisa que acaba por acontecer no mesmo episódio - nem prolongam nem nada, que é o que habitualmente fazem - e o episódio acaba assim, encerrando 40 minutos de qualquer coisa mórbida que eu nem quis acreditar estar a ver.

A morte é mórbida, sim meus senhores, eu sei. É uma série de médicos e hospitais, morre sempre muita gente, eu sei. É ficção, pois senhores, eu sei, é uma série. Mas matarem a nossa coisa linda desta forma foi triste. Pior, foi pobre. 

Vai daí o próximo episódio será um especial de duas horas - ou compensam os fãs ou quem morre é mesmo a série.